Cientistas dos EUA usam estruturas de nanoescala para reduzir a reflectividade em células solares

Uma equipe de cientistas do Lawrence Livermore National Laboratory nos Estados Unidos desenvolveu um novo revestimento anti-reflexo para reduzir a reflectividade em células solares e ópticas.

Os pesquisadores disseram ter conseguido reduzir a reflexividade da ótica de silício em 1% aplicando camadas hierárquicas de um comprimento micro e nanométrico na superfície dos dispositivos.

Esta nova tecnologia, de acordo com a equipe de pesquisa, baseia-se nas estruturas hierárquicas encontradas no olho de uma borboleta que permitem absorver mais luz e poder se orientar melhor na escuridade.

Os autores do estudo, publicado na revista Advanced Optical Materials, afirmam que foram capazes de reduzir a média hemisférica ou a reflectância total do silício de 38% até cerca de 11%, incluindo no silício as estruturas da pirâmide na microescala. “No entanto, ao empilhar montagens de tamanho nano na superfície da estrutura maior, a reflectividade total pode ser reduzida de 1 a 2%, independentemente do ângulo da luz incidente”, disseram os cientistas.

Essas estruturas hierárquicas foram projetadas para eliminar reflexividade e reflexão sem produzir o efeito verde ou roxo que os revestimentos antirreflexos, atualmente, possuem.