Ceará quer atrair projeto da fábrica de módulos da chinesa Chint

Após o estado do Rio Grande do Norte, outro estado brasileiro também está interessado na fábrica de módulos solares que o grupo chinês quer instlar no Brasil. O governo do estado do Ceará anunciou que encontrou representantes do grupo chinês Chint para discutir a possibilidade de instalar a fábrica de módulos solares que a empresa quer construir na região.

O governador do Ceará, Camilo Santana, reuniu-se com os diretores da Chint em Hangzhou, na China, onde apresentou a possibilidade da fábrica ser construída na Zona de Processamento de Exportação da zona industrial (ZPE). O governador também disse que os representantes da empresa, em breve, irão para o Brasil para visitar o lugar onde a fábrica poderia ser construída.

“O Grupo Chint é uma das maiores empresas do mundo, não só na fabricação de sistemas de produção de energia, mas também em painéis solares. Ceará tem um grande potencial para a produção de energias renováveis, o que aumenta nosso otimismo para atrair investimentos nessa área. É uma fábrica deste tipo que querem instalar no Brasil “, disse Santana.

Em maio, o governo do estado do Rio Grande do Norte também anunciou que o projeto de uma fábrica de módulos solares da empresa Chint estava avançando. O governador Robinson Faria estava confiante de que o investimento seria feito após uma reunião com representantes da empresa chinesa Jackie Xiang e Charles Zang, de acordo com um comunicado.

A fábrica de módulos fotovoltaicos estima um investimento de 112 milhões de reais (US $ 35,7 milhões) e a criação de 1.300 empregos diretos e indiretos. Com esta fábrica, a empresa chinesa cobriria o mercado brasileiro e outros mercados regionais.