O Projeto IFRN Solar economizará R$ 1,3 milhão de energia ao ano

O Projeto IFRN Solar foi iniciado em 2013 contratando, inicialmente, 5 geradores fotovoltaicos cuja capacidade varia desde 50 kWp por gerador, no caso dos campi avançados de Lajes e Parelhas e chegando a alcançar 197 KWp no Campus Natal Central.  As instalações foram realizadas na Reitoria e nos campi Canguaretama, Ceará-Mirim, Currais Novos e São Paulo do Potengi.

No dia 14 de dezembro foram acionados os geradores fotovoltaicos dos campi Ipanguaçu e Macau, batendo a meta prevista no plano de desenvolvimento Institucional 2014-2018 contratados dentro do Projeto IFRN Solar.

São 2.139 kWp de potência conectada à rede cobrindo assim todas as unidades da instituição e gerando energia solar fotovoltaica.

A redução de gastos com a energia elétrica supõe a cifra de R$ 1,3 milhão por ano, pois todos os geradores fotovoltaicos do IFRN em ação chegam a gerar até 3,36 GWh/ano.

Com relação ao meio ambiente a redução de emissão de CO2 na atmosfera equivaleria a 339 toneladas, esclarece o engenheiro eletricista do IFRN Franclin Róbias.

O gerador do Campus Ipanguaçu ocupa uma área de aproximadamente 630 m² destinada ao estacionamento de veículos e está composto por: 420 painéis de 280 Wp de potência, totalizando 117, 6 kWp e 4 inversores trifásicos de 25 KW que recebe energia contínua dos painéis e a converte em corrente alternada. Espera-se que este gerador alcance uma produção anual média de aproximadamente 182,5 MWh, representando assim 29% do total de energia elétrica consumida nessa unidade nos últimos 12 meses.

Já o Campus Macau está distribuído em uma área coberta de 472 m² do estacionamento que contam com duas áreas e está composto por: 315 painéis de 280 Wp de potência, totalizando 88,2 kWp e com 3 inversores trifásicos de 25 KW. Neste espera-se uma produção de energia de 136,8 kWh equivalendo 29% do consumo elétrico dessa unidade.

Portanto, a próxima meta é utilizar fonte renovável para cobrir no mínimo um 30% do consumo de cada unidade dado que agora todas as unidades do IFRN contam com geração própria de energia elétrica.