BNEF: a solar cresce a toda velocidade nos países em desenvolvimento

Aproximadamente 34 GW de energia fotovoltaica entraram em operação em 2016 em 71 mercados emergentes incluídos pela empresa norte-americana especializada em pesquisa de mercado Bloomberg Energy Finance no seu Climatescope 2017, um relatório sobre atividades relacionadas à energia limpa nos países em desenvolvimento.

Em 2015, a nova energia fotovoltaica instalada desses países tinha sido de 22 GW. O crescimento do ano passado, então, foi de mais de 54%. A China foi o país que mais contribuiu para esse aumento com mais de 27 GW, embora o Brasil, o México, o Chile, a Jordânia e o Paquistão e outros nove países viram a sua capacidade fotovoltaica mais do que duplicada em 2016.

No geral, a energia solar representou mais de 19% de toda a nova capacidade dos países incluídos no relatório no ano passado, enquanto em 2015 essa porcentagem havia sido de 10,6%.

“A queda maciça dos preços dos módulos fotovoltaicos que vimos nos últimos anos continua a reverberar através dos países em desenvolvimento”, disse Ethan Zindler, chefe da BNEF para as Américas. “É criar oportunidades que vão desde projetos de vários milhões de dólares que atendem à rede elétrica, a instalações em pequena escala que permitem aos agricultores aumentar seus rendimentos através de uma melhor irrigação e conectar-se à Internet”.