Rondônia, também, quer levar a fotovoltaica às escolas

Já sabemos que Rondônia é um estado quere incentivar o uso sustentável de energia limpa. Tanto é assim, que o atual presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB) quer estudar a viabilidade de implantar placas de captação de energia solar no novo prédio do Legislativo Estadual.

Contudo, para fazer este estudo, o pesquisador da USP, Aurélio Souza, do Laboratório de Sistemas Fotovoltaicos do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo, (LSF-IEE/USP), que funciona desde 1995, veio a Rondônia no mês de setembro, ao convite de Maurão de Carvalho, estudar a viabilidade de implantar placas de energia solar para o novo prédio da ALE.

O pesquisador Aurélio Souza, na visita, mostrou a possibilidade de as placas também ser instaladas não somente nos telhados, mais também nos estacionamentos. Além do fornecimento de energia solar para o edifício, o projeto visa a possibilidade de ser expandido até para o sistema de ar condicionado solar.

Os dados sobre custos e redução de gastos ainda não foram especificados, porém o secretário geral da Assembleia, Arildo Leite, explicou que o ideal é utilizar uma Parceria Público Privada (PPP) para a implantação do sistema, num modelo que ainda está sendo estudado.

Como se fosse pouco, o presidente da Assembleia Legislativa, também comunicou a possibilidade de o modelo ser aplicado, pelas mais de 400 escolas estaduais do estado de Rondônia. A oportunidade de que as escolas estaduais possam ter placas de captação de energia solar, reduz cerca de R$ 20 milhões ao ano os gastos com a energia elétrica, ou seja, cada vez mais aumenta o interesse dos governos em utilizar energia solar nos espaços públicos.

É importante lembrar que em janeiro deste ano, o prefeito de Theobroma, Claudiomiro dos Santos (PMDB) esteve reunido com Maurão de Carvalho (PMDB), com as pesquisadoras do Grupo de Inovação Tecnológica (Gitec) da Universidade Federal de Rondônia (Unir) e com o deputado Hermínio Coelho (PDT), para lhes solicitar apoio para o projeto Cidade Sustentável no qual foram concedidas emendas individuais no valor de R$ 150 mil cada, para a implantação da tecnologia para a geração de energia solar.

Agora resta esperar ver os frutos deste projeto, que segundo o deputado estadual Cleiton Roque (PSB) destaca que este modelo inovador de geração de energia atende ao apelo de boa parte da sociedade que cobra a utilização de produtos e materiais que gerem menos danos ao meio ambiente.

Distribuição da nova sede da ALE

Abaixo seguem os dados referentes à distribuição da nova sede, para que se tenha em conta a dimensão deste projeto e o quanto Rondônia servirá como exemplo de estado sustentável com a consolidação deste projeto.

A nova sede conta com 2 blocos, sendo 1 bloco de 5 pavimentos onde estarão os setores administrativos e de apoio – e outro de 15 pavimentos, mais um subsolo, além de estacionamento privativo para os parlamentares e outros dois pavimentos de estacionamento, com cerca de 270 vagas cada, destinado aos servidores e visitantes e 250 vagas ao redor do prédio, de acordo com o projeto urbanístico.

Serão 11 pavimentos destinados aos gabinetes parlamentares, sendo três por andar, com um pavimento destinado à Presidência. Todo o prédio contará com sistema de climatização, redes de dados, acessibilidade e amplo espaço ao público. A galeria contará com 500 lugares para o cidadão acompanhar as sessões. Há ainda um auditório para mil pessoas, onde serão realizadas audiências públicas e outras solenidades.