Avança projeto da chinesa Chint para fábrica de módulos fotovoltaicos no Rio Grande do Norte

O governo do estado brasileiro do Rio Grande do Norte anunciou que a fábrica de módulos solares planejada pelo fabricante chinês Chint terá uma capacidade anual de cerca de 200 MW e estará localizada no município de Extremoz.

O planejamento da fábrica foi apresentado pelo diretor da empresa na América Latina, Jackie Xiang, em uma reunião com o governador Robinson Faria.

Chint confirmou que vai investir 112 milhões de reais na fábrica e que este projeto criará cerca de 1.300 empregos diretos e indiretos. “A localização está perto do aeroporto, o que facilitará o transporte de materiais, logística e chegada de visitantes e clientes para a fábrica”, disse Xiang.

A construção da fábrica começará em fevereiro e as operações comerciais começarão em novembro deste ano, de acordo com o governo local. A fábrica fornecerá o Brasil e outros mercados na América Latina.

De acordo com as atuais regulamentações brasileiras, os empréstimos com taxas de juros baixas do BNDES são concedidos apenas para projetos de energia solar e renovável que atendam aos requisitos do conteúdo local. Atualmente, a maior fábrica de módulos no Brasil é a fábrica de 400 MW do produtor solar Canadian Solar. A produção industrial começou no final de 2016.